Estudos e técnicas

Materiais indispensáveis para fazer um desenho técnico

Homem criando desenho técnico em uma mesa cheia de papéis

Na engenharia, assim como em outras áreas de conhecimentos específicos, é preciso haver um padrão pré-estabelecido para que os engenheiros consigam compartilhar suas ideias e seus trabalhos entre si. É o desenho técnico quem cumpre essa função. Com ele, engenheiros de diferentes lugares do mundo e de diferentes empresas são capazes de produzir o mesmo produto. 

Em outras palavras: o desenho técnico funciona como uma matriz para a reprodução de projetos. Neste texto, vamos falar um pouco sobre a sua função e listar os materiais mais importantes para esse processo. Fique com a gente!

Desenho técnico: conceito e objetivos

Podemos definir o desenho técnico como uma representação gráfica de um corpo (seja uma peça, um instrumento ou um imóvel) no papel ou – atualmente – no virtual.

O objetivo do desenho técnico é expor fidedignamente os mais diversos parâmetros de um objeto para que sua representação seja compreendida, assimilada e, em muitos casos, reproduzida. O que se quer, portanto, é a criação de uma representação fiel que permita uma replicação do objeto a fim de se obter uma padronização.

Para que todos os detalhes necessários apareçam no desenho (uma representação simples, pois bidimensional) e permitam que o objeto visado seja de fato construído, certas normas técnicas precisam ser seguidas. São essas normas, portanto, que tornam todo o processo padronizado e facilitam a sua reprodução. 

Além disso, claro, é devido às normas técnicas utilizadas pelos desenhistas que o desenho não abre espaço para interpretações subjetivas. Ele é o que é! É seguindo esses critérios pré-estabelecidos pelos órgãos reguladores (nacionais e internacionais) que a figura pode ser compreendida de maneira universal.

Qual a importância do desenho técnico para um projeto?

O desenho técnico é essencial quando pensamos na qualidade do produto final, porque com ele temos a padronização do produto. Com um modelo a ser seguido, temos a garantia de que todas as reproduções seguirão com aquelas características iniciais. Além disso, essa padronização também garante um aumento da produtividade. 

Ao colocar suas ideias no papel, é mais fácil de controlar o resultado. Todos os detalhes do projeto estão ali, desenhadas conforme as regras. Algo saiu errado? Basta olhar para o papel e analisar o que precisa ser mudado. As falhas e posteriores melhorias estão ali, ao alcance dos olhos e do lápis.

Quem cria o desenho técnico?

A formação de um engenheiro vai muito além dos cálculos e das equações. Aprender a desenhar, ao menos de forma técnica, também é uma das exigências para quem quer se tornar expert na arte de inventar, construir e melhorar sistemas, aparelhos e objetos.

A criação do desenho técnico é tarefa dos desenhistas, profissionais da engenharia adequadamente habilitados para representar – através do desenho – as diferentes dimensões e formas de um objeto. É desenhando que eles conseguem fazer a comunicação entre o projeto e a empresa responsável pela sua produção.

profissional pensativa ao criar desenho técnico

Diferenças entre desenho técnico e desenho artístico

Mas, afinal, qual a diferença entre um desenho técnico e um desenho artístico? Para responder a essa pergunta, precisamos pensar no tópico abordado acima, sobre as normas técnicas e a função do desenho.

No desenho artístico não há uma função definida além da intenção e da vontade do artista; ou seja, aquilo que é desenhado busca transmitir desejos, sentimentos e ideias daquele que desenha, refletindo seu gosto pessoal. No desenho técnico as coisas são bem diferentes!

Desenhar tecnicamente exige que todas as características do objeto representado sejam transmitidas com exatidão, pois a função do desenho técnico é bastante prática: oferecer um guia ou uma base para a criação ou melhoramento do objeto. E isso, como vimos, depende de algumas regras estabelecidas previamente, as normas técnicas.

Materiais essenciais para fazer o desenho técnico 

A escolha dos materiais para fazer um desenho técnico nem sempre é simples e intuitiva. Por isso, fizemos uma pequena lista dos principais itens que figuram no escritório de um engenheiro desenhista. Acompanhe!

  • Papel: é no papel que o desenho é esboçado. De acordo com o trabalho (se com mais ou menos detalhes), é possível escolher um papel de diferentes gramaturas. O sulfite oferece uma gramatura média e casa bem com a maioria dos desenhos. 
  • Lápis ou lapiseira: para colocar o desenho no papel, o lápis ou a lapiseira entram em ação. O grafite escolhido, aqui, é quem fará a diferença: mais fino ou mais grosso, varia conforme o desenho a ser feito. 
  • Apontador: um item frequentemente esquecido, o apontador faz toda a diferença quando você trabalha utilizando o lápis com frequência. Tenha sempre um à mão no seu estojo para evitar ficar sem algum dos seus materiais de trabalho.
  • Caneta de ponta fina: a caneta de ponta fina serve para dar contornos e destaques às partes importantes do desenho técnico.
  • Borracha: não precisa de muitos comentários, não é? Quem usa lápis, também é amigo da borracha!
  • Prancheta: item indispensável para fazer um desenho técnico, a prancheta costuma ser feita de plástico que resiste aos arranhões e perfurações. Além disso, possui algumas características particulares muito úteis, como os prendedores de papel que se localizam em ambos os lados da prancheta e servem para garantir que o papel se mantenha firme para que o desenho fique proporcional. Para maior precisão, a prancheta conta com um encaixe para a régua. O objetivo é manter esse item firme no momento em que os desenhos são feitos com o lápis ou lapiseira.
  • Gabarito: o gabarito é um tipo de régua que possui o molde de várias formas geométricas, facilitando o trabalho.
  • Régua: feitas de plástico, metal ou madeira, as réguas profissionais possuem diferentes tamanhos. O tamanho usual, entretanto, é de 30 centímetros e pode ser encontrada facilmente em qualquer loja de material para desenho.
  • Compasso: utilizado para fazer círculos perfeitos ou para encontrar o ponto médio de uma linha, vale a pena ter sempre um bom compasso à mão.
  • Esquadro: no formato de um L, o esquadro é um item multifuncional: serve tanto para medir ângulos retos quanto para traçar linhas perpendiculares.
  • Transferidor: indispensável para medir ângulos compostos por escalas circulares, o transferidor garante precisão na medição.
kit de lápis para desenho

Encontre o material que você precisa na Artools!

Agora que você já sabe quais são os materiais indispensáveis para fazer um desenho técnico, basta adquiri-los para colocar a mão na massa. E para te ajudar nesse processo, a Artools disponibiliza produtos de qualidade com um preço acessível!

Confira nosso Lápis Graphite, feito com matérias-primas selecionadas que garantem traços precisos e intensos, perfeitos para os rabiscos do seu projeto. 

Para facilitar ainda mais o seu trabalho, conheça a Borracha Blank, ótima para apagar grafites escuros sem esforço preservando a superfície. 

Na Artools você também pode encontrar a Caneta Pigmentum, desenvolvida com tinta pigmentada japonesa e com modelos em 12 espessuras de traço diferentes: 0.05mm, 0.1mm, 0.2mm, 0.3mm, 0.4mm, 0.5mm, 0.6mm, 0.7mm, 0.8mm, 1.0mm, 1.2mm e ponta chanfrada 3mm.

Navegue pelo nosso catálogo e se deixe encantar pelo novo! Clique no banner e descubra onde encontrar a Artools perto de você.

Empresa de material de arte

Categorias: Estudos e técnicas